Fraternidade Branca

A Fraternidade Branca não é uma ordem ou instituição terrena destinada a satisfazer a necessidade intelectual ou sentimental das pessoas, mas sim o conjunto de consciências despertas, dispostas a auxiliar O Mestre na realização da Obra Universal e Eterna do Amor de Deus, orientada pela Hierarquia Divina.

Fraternidade é, e deve ser sempre o reflexo vivo da causa sobre a qual O Mestre alicerçou os seus ensinamentos e toda a essência da sua doutrina, fundada na transmissão do conhecimento e da Verdade, da humildade, do amor, da revelação e da realização.

Fraternidade foi e é o ideal que O Mestre sempre proclamou na tentativa (muitas vezes inútil) de guiar a humanidade para uma perfeição espiritual mais elevada e mais nobre.

A Fraternidade Divina, é certo, representava para os apóstolos de Cristo um ideal, mas  um ideal sentido unicamente com a sua capacidade de compreensão humana, na maioria das vezes permeada por incredulidade e julgamento.

Mas, na incomensurável grandeza de Deus, no infinito de espaços e de Eras, no infinito de eternos retornos e de esferas mortais, quem saberá resistir e seguir o caminho da Eterna Sabedoria percorrendo-o sem cair nas insídias do mal?

Mais de dois mil anos se passaram desde o começo da segunda era, dois mil anos em que muitos procuraram realizar em si a revelação do Espírito e a manifestação de sua Grandeza e Perfeição Eternas. Deus abre agora, pela terceira vez, o santuário do Seu Amor, e procura através das Leis e revelações da nova era infundir nova esperança e nova fé no coração da humanidade.

E como sempre o ciclo se repete, o drama torna a aflorar. Não existe de fato nada como o princípio que traz consigo a semente da dor: da causa ao efeito, da mãe ao filho, do Filho à humanidade para evoluir, do Salvador aos homens para redimir.

Porque os caminhos são sempre os mesmos, e assim serão até que haja a reunião completa em Deus na única e sublime realidade: a conquista da Fraternidade e da Unidade universal.

Todas as respostas que procuramos para nossos questionamentos mais íntimos estão dentro de nós mesmos. Dentro de nossos próprios corações. Deixemos, então, que O Mestre nos toque para que possamos senti-lo em nossas vidas e obter puras e verdadeiras respostas, aquelas que só nossa essência divina poderá reconhecer!

Que cada um de nós possa observar e vencer somente a si mesmo, e aperfeiçoar-se ainda mais nesta era que se inicia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s